30.9.07

Sobre mim.

Eu preciso interromper a série. Sim, sim. Porque de repente me dei conta de uma personagem que não está publicada em revistas nem nos desenhos, mas na história da minha vida. É, nessa história, a protagonista sou eu.

Há algum tempo eu tento escrever algo que seja sincero, que seja verdade, que tenha minha alma, aqui.
Algumas vezes, não consigo.
Algumas vezes, me acusam de fechada e eles têm sua razão nisso.
Algumas vezes, prefiro falar sem palavras, mas entendo que é trabalhoso demais compreender essa linguagem.

Então, eu vou lhes dizer algo. Não sei o que te motiva a estar aqui. Não sei porque você está se dando ao trabalho de ler essas linhas, e é em consideração a essa importância que você está me dando que eu quero dizer algo. Se eu olhar pra minha vida, para toda ela, me deter em cada detalhe. Os dolorosos, os felizes, os não-entendidos, os justificáveis, os banais, todos, todos os detalhes que a minha memória me permite lembrar e que as fotografias apontam. Se eu refletir sobre esses momentos agora, se parar e pensar neles por um instante ( ou por um longo tempo) há uma coisa que eu posso dizer sobre mim: eu sou uma filha de Deus, melhor, uma filha amada.

Eu sei que isso pode soar absolutamente comum aos seus ouvidos, que não ache novidade alguma nisso e que não precisasse desse estardalhaço todo. Mas, eu preciso que você entenda. Houve um dia em que me deparei com esse amor, um dia em que quase tropecei nele e tentei enxergar de onde ele vinha, não tive sucesso porque não consegui enxergar o começo, só o fim, que era eu. Por muitas vezes eu sou tonta e estabanada, tanto que persistia com uma velha mania de valorizar o secundário e esquecer do essencial. Mesmo assim, diante da minha própria cegueira, Ele não desistiu de mim. Seu amor não me desamparou. Sua mão não deixou de me proteger. Sua graça não deixou de me alcançar.Se eu tenho medo, é porque esqueço do perfeito amor. Hoje eu posso ver claramente, eu sou como alguém que teve as bandagens que lhe cobria os olhos retirada e a primeira coisa que consigo ver é esse amor.Ele não é só pra mim, é pra você também. Deus ama a cada um de nós, como se houvesse apenas um de nós pra amar.


A minha alma canta.


Eu quero voltar pra casa.

6 comentários:

Rafael disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Igor Chacon disse...

.o amor não é cego
ele cura a cegueira..

NA disse...

Rafa...

Eu tb estive de olhos vendados, retirei aos poucos o véu e a cada dia vejo a maravilha Dele na minha vida.

O caminho é árduo mas a paisagem final compensa tanto esforço e sofrimento, essa é certeza que me move, que move a todos que acreditam

Eu te compreendo...
Ah , pode contar sempre com a minha pessoa
Sê sabe que pode

=* atentamente

Uma pessoa Angélica disse...

Que lindo! Também encontrei esse amor que me libertou da cegueira! A nossa vida muda mesmo, rapaz!

Li bem devagar o texto,porque essa ocasião foi rara!

Ah, lemos suas linhas por causa da importância que você tem pra nós, cada palavra, cada demonstração de amor falada ou não. Temos certeza que também somos amados por você...

Um agrande abraço, de alguém que te ama muito, sua irmã (desculpa eu ser meio teimosa rsrsrs).

^^

o-^_^-o hehehe

um xeru tb =D

Rafael disse...

vc nao posta mais porque?

Lua disse...

:)